Se você gosta de animação, você provavelmente conhece O Estranho Mundo de Jack. O longa-metragem de 1993 é considerado uma das melhores animações da década de 1990 e ganhou uma legião de fãs. E se você analisar o filme, é difícil não se impressionar com a qualidade técnica dele: a animação em stop motion, os efeitos especiais, as músicas. Sem dúvida, o Tim Burton merece muitos elogios por ter dirigido um filme tão bem feito, não é?

A resposta é não.

Isso porque O Estranho Mundo de Jack deu origem a uma grande injustiça, a meu ver: a impressão de que esse filme foi dirigido por Tim Burton.

Beleza, muitos fãs de cinema mais atentos sabem que, na verdade, O Estranho Mundo de Jack foi dirigido por Henry Selick. Mas a questão é que ainda é muito disseminada no grande público a ideia de que esse é um filme dirigido por Tim Burton. E a culpa não é dessas pessoas, mas sim da Disney. E pra entender o porquê disso, vale a pena voltar alguns anos pra entender a relação entre Burton e o estúdio do Mickey Mouse.

Conheça Henry Selick, o diretor de "O Estranho Mundo de Jack"

Conheça Henry Selick, o diretor de “O Estranho Mundo de Jack”

Antes de ficar famoso, Tim Burton trabalhou como animador nos estúdios da Disney. Esse era o sonho do jovem artista, já que ele tinha um grande amor por animação. Mas Tim Burton é uma pessoa…singular, digamos assim. Ele sempre foi o cara meio esquisito, desde pequeno. E isso era refletido nas suas ideias de trabalho, o que preocupava um pouco o pessoal da Disney. Mas eles eventualmente deram espaço para que ele criasse projetos autorais. Assim, surgiu Vincent, um dos primeiros curta-metragens do diretor.

O resultado, como você pode ver, era extremamente sombrio, apesar de apropriado para crianças. E quando a Disney deixou Burton fazer outro curta-metragem, ele repetiu a dose e fez Frankenweenie, uma história sobre um menino que vê o cachorro morrer atropelado, para depois ressucitá-lo com uso da ciência. Mas dessa vez a Disney não ficou feliz com o resultado. Eventualmente, Burton foi demitido por ter gastado dinheiro da empresa para criar algo que era sombrio demais para crianças.

Se isso pudesse parecer uma péssima notícia, Burton logo veria que a demissão foi, na verdade, algo incrível. Após sair da Disney, Burton, que havia chamado a atenção de estúdios com seus curtas-metragens, foi convidado para dirigir filmes como Os Fantasmas Se Divertem e Batman, que se provaram sucessos de bilheteria.

Tim Burton, agora como novo cineasta de enorme sucesso comercial, decidiu então retomar um projeto antigo dele: uma adaptação de um poema que havia escrito enquanto trabalhava na Disney. Burton havia apresentado a ideia à Disney, que, a princípio, aceitou bancar o projeto. Mas o estúdio depois desistiu por (adivinhem só) acharem o filme sombrio e esquisito demais. Estamos falando, é claro, de O Estranho Mundo de Jack.

Mas como a Disney ainda era a detentora dos direitos desse filme, Burton teria que trabalhar novamente com o estúdio que o havia demitido caso quisesse ver O Estranho Mundo de Jack ganhar vida. E foi isso que ele fez, junto ao amigo Henry Selick, que também havia sido animador na Disney.

Rascunho de Tim Burton para o visual de Jack Skellington

Rascunho de Tim Burton para o visual de Jack Skellington

E agora que Tim Burton era um nome extremamente reconhecido, é claro que a Disney olhou a tal obra sombria e esquisita dele com outros olhos e aceitou tocar o projeto. Mas como Burton estava extremamente ocupado dirigindo Batman – O Retorno na época, ele passou o bastão para Henry Selick.

Então foi Selick que teve todo o trabalho de pegar as ideias de Tim Burton e dar vida a elas. Foi ele o responsável por transformar o conceito desse esqueleto que sequestra o Papai Noel em uma animação de qualidade técnica primorosa.

Mas quando chegou a hora de promover o filme, o departamento de marketing da Disney quis aproveitar todo o hype em torno de Tim Burton e lançou o longa-metragem com o nome “alongado”. Em vez de The Nightmare Before Christmas (nome em inglês de O Estranho Mundo de Jack), o estúdio rebatizou a animação como Tim Burton’s The Nightmare Before Christmas. Por isso, não é surpresa tanta gente achar, ainda hoje, 23 anos depois do lançamento do longa-metragem, que O Estranho Mundo de Jack é um filme dirigido por Tim Burton.

Tim Burton em uma das poucas visitas que fez ao set de "O Estranho Mundo de Jack"

Tim Burton em uma das poucas visitas que fez ao set de “O Estranho Mundo de Jack”

Não me entenda mal, não digo que Burton não mereça nenhum reconhecimento. Afinal de contas, ele de fato foi o idealizador do projeto, teve a ideia da história e bolou boa parte do visual do filme. Mas a verdade é que, com essa manobra de marketing da Disney, o nome de Henry Selick acabou muito ofuscado. O que é uma pena, pois o trabalho dele nesse filme é impressionante (não é à toa que O Estranho Mundo de Jack foi sempre um sucesso de público e de crítica).

Mas não pense que Henry Selick guarda qualquer mágoa. Quando entrevistado pela revista Sight & Sound em 2008 sobre o trabalho de direção de O Estranho Mundo de Jack, Selick foi humilde. “É como se ele [Burton] tivesse colocado um ovo e eu tivesse sentado pra chocar. Ele não estava envolvido no sentido de por a mão na massa, mas a mão dele está lá. Era meu trabalho fazer com que isso parecesse ‘um filme do Tim Burton’, que não é muito diferente dos meus próprios filmes.”

Agora você me pergunta: “Tá, beleza, e agora que eu sei disso tudo, o que eu faço com essa informação?”. Bom, eu tenho duas recomendações. Primeiro, assista mais uma vez a O Estranho Mundo de Jack, deixando-se maravilhar com o trabalho de animação e tendo em mente que aquilo ficou incrível por causa do Henry Selick. Depois, tome um tempo e veja outras duas excelentes animações dirigidas por ele: James e o Pêssego Gigante e Coraline.

Assim, pelo menos, o Henry Selick vai receber um pouco mais do reconhecimento que merece pelo trabalho de direção que ele consegue fazer e, quem sabe, não cair tanto no esquecimento.

                                                                                                            ———————

Gostou de entender mais sobre esse lado da carreira do Tim Burton e quer explorar mais a obra do cineasta? Então você deveria ver o novo episódio do meu canal no YouTube, o EntrePlanos! Nele, eu mostro quais foram as grandes influências que ajudaram o Tim Burton a criar o estilo dele de fazer filmes. Clica aí!