O Dia dos Namorados foi ontem, mas o Acabou de Acabar ainda está aproveitando o clima, e aposto que todos os casais que comemoraram a data também estão. Assistir um bom filme ou ir para um lugar romântico para ouvir uma boa música são programas clássicos para namorados. Mas também dá para unir o útil ao agradável, já que tem muitos filmes que geraram belas e atemporais canções de amor. A seguir você confere as 12 melhores, lembrando que só foram consideradas canções (ou versões) originais, criadas especialmente para os filmes (ou seja, nada de Unchained Melody ou My Girl por aqui). Sem mais demora, vamos as escolhas, para vocês já combinarem o filme do fim de semana que vem:

12 – My Heart Will Go On: É grudenta e se tornou meio irritante com o passar dos anos, mas a clássica canção de Celine Dion criada para Titanic tornou-se obrigatória nesse tipo de lista. Nem há muito que se dizer sobre ela, afinal, a não ser que você tenha vivido numa caverna nos últimos 20 anos, com certeza já ficou com My Heart Will Go On grudada na cabeça. Inclusive, ela deve estar tocando na sua mente agora. E vai demorar pra sair… peço perdão por isso. Piadas a parte, independente da opinião pessoal de cada um sobre a música, não há como negar que ela resistiu ao tempo e permanece até hoje como uma das grandes canções da história do Cinema.

11 – Iris: Ainda na seção “músicas que todo mundo já adorou, mas hoje tem um pouco de vergonha de admitir”, temos o maior (e único, na verdade) sucesso do Goo Goo Dolls, criado para o filme Cidade dos Anjos (da época em que Nicolas Cage ainda tinha algum amor próprio). Iris é uma das poucas músicas que conseguiu unir as tribos, sendo ouvida e cantada por fãs de rock e pop na mesma medida. E ainda serve como trilha nostálgica pra vida de muita gente por aí…

masciotra-bodyguard-splsh

10 – I Will Always Love You: Essa música, interpretada por Whitney Houston para a trilha sonora do filme O Guarda-Costas, é um daqueles raros exemplos do cover que supera a original, principalmente em popularidade. I Will Always Love You é uma canção de Dolly Parton, composta pela artista country em 1973 para seu mentor e parceiro Porter Wagoner, como uma despedida, pois Parton tinha decidido seguir carreira solo. Na voz de Whitney Houston, no entanto, virou uma atemporal declaração de amor, a maior música da artista e um dos singles mais vendidos de todos os tempos. E convenhamos que até hoje, a performance de Houston ainda é de arrepiar.

9 – I Don’t Wanna Miss a Thing: Continuamos exageradamente açucarados, agora com uma das melhores baladas do Aerosmith (a favorita deste que vos escreve), composta para Armageddon, a megaprodução insuportável de Michael Bay. Um contraste no meio de toda a barulheira patriótica do filme, I Don’t Wanna Miss a Thing é ainda hoje o maior hit da carreira do Aerosmith e divide opiniões de fãs da banda e da crítica de tal maneira que na época do lançamento, foi indicada em Melhor e Pior Canção Original no Oscar e no Framboesa de Ouro respectivamente. Independente disso apresentou a inconfundível voz de Steven Tyler para toda uma nova geração e ainda serve como uma perfeita declaração de amor para qualquer casal fã de rock meloso.

8 – Você Não me Ensinou a te Esquecer: Nosso cinema também merece marcar presença na lista, com a belíssima versão de Caetano Veloso da música de Fernando Mendes, criada para a trilha de Lisbela e o Prisioneiro. Indicada ao Grammy Latino, a canção é aquela velha história da pessoa que perdeu seu grande amor por erros cometidos no passado e agora quer reconquistá-lo, pois não consegue viver sem ele. O tema não é novidade, mas além da composição em si já passar uma tristeza profunda, a voz lamentosa de Caetano dá novas e melancólicas camadas para a música. Romântica, triste e presença obrigatória aqui.

7 – (I’ve Had) The Time of My Life: Um dos maiores exemplos da música pop dos anos 80 (agitada, dançante e acima de tudo grudenta) e vencedora do Oscar, Globo de Ouro e Grammy, The Time of My Life merece um lugar nessa lista por apresentar um diferencial em relação a todas as outras. Ela não é apenas romântica, como também é a única que foge da baladinha e aposta num ritmo mais agitado para os casais. Dirty Dancing, filme para o qual ela foi composta, é daquelas produções que são retratos de uma geração (ou seja, envelheceu terrivelmente mal), mas independente de tudo soar um pouco cafona hoje em dia, ainda vale a pena pela sequência final de dança, que conta com esse irresistível hit, que embala festas até hoje.

maxresdefault (1)

6 – Come What May: A única composição original de Moulin Rouge! é também uma das melhores canções do filme e rende um de seus melhores momentos. Interpretada pelos protagonistas Nicole Kidman e Ewan McGregor, Come What May vai fundo na declaração de amor, com o casal jurando que amará um ao outro até o dia de sua morte. O contexto com o qual ela aparece no musical é o que a torna tão romântica, mas não vou entrar em detalhes aqui, para que você possa aproveitar o filme na sua totalidade, caso ainda não tenha assistido.

5 – Endless Love: Pouca gente conhece o filme de 1981 chamado Endless Love, mas é difícil encontrar alguém que nunca tenha ouvido essa clássica declaração de amor interpretada por Lionel Ritchie e Diana Ross, criada para o longa. Endless Love é uma daquelas canções românticas que vão pelo caminho mais simples. São apenas duas pessoas declarando seu amor uma pela outra, numa música que atravessa gerações, mas nunca perde seu charme.

4 – Falling Slowly: Uma das melhores vencedoras do Oscar nos anos 2000, Falling Slowly chama atenção pela simplicidade. A canção está em Once – Apenas Uma Vez (belo filme, injustamente subestimado) e sua criação seguiu um caminho diferente das outras dessa lista: a dupla Glen Hansard e Markéta Irglová compuseram várias músicas para o filme e John Carney (que também dirigiu o longa) desenvolveu o roteiro com base nelas. Quando receberam o Oscar, Irglová explicou que o contexto da música vai muito além do simples romance. A ideia é passar o sentimento de esperança, que no fim das contas, é a única coisa que nos une, não importa nossas diferenças. Uma canção linda, que funciona para momentos diferentes e nunca deixa de ser necessária.

simba_and_nala_by_all0412-d4u1i18

3 – Can You Feel the Love Tonight: Foi difícil escolher uma balada para representar as animações da Disney nessa lista, com A Whole New World e Beauty and the Beast sendo fantásticas como são. Mas no fim das contas, não teve como não ficar com Can You Feel the Love Tonight, uma das mais belas canções de Elton John, composta para a trilha de O Rei Leão. Outra vencedora do Oscar, Globo de Ouro e Grammy, é a perfeita descrição de um casal descobrindo seu amor um pelo outro. Graças a bela voz de Elton John, é romântica sem ser açucarada demais, permanecendo uma das melhores músicas da Disney até hoje.

2 – The Way You Look Tonight: Uma das primeiras vencedoras do Oscar de Canção Original, essa música cantada por Fred Astaire no filme Ritmo Louco já foi regravada tantas vezes e por tantos artistas (de Tony Bennett até Maroon 5) que sua origem quase se perdeu. Tal qual Endless Love, é simples, mas carrega uma beleza incomparável. São pouco mais de três minutos em que um homem descreve de todas as maneiras, como sua amada o faz bem. Uma das canções românticas mais tradicionais da história da música.

1 – I Just Call to Say I Love You: O maior sucesso da carreira de Stevie Wonder, composto para o filme A Dama de Vermelho está em primeiro lugar por um motivo muito simples. As declarações do Dia dos Namorados são sempre muito bonitas, mas que casal precisa de uma data especifica pra declarar seu amor? Às vezes, sem motivo especial, um pode ligar para o outro só para isso. É o que Stevie Wonder defende na sua irresistível música, daquelas impossíveis de ouvir sem cantar junto. Muita gente foca tanto nos ritmos mais melosos e açucarados que acaba esquecendo que é nessa divertida balada que está a mensagem mais romântica de todas: datas e momentos especiais são apenas simbólicos, pois o amor entre um casal existe todos os dias.

E aí, faltou alguma música? Qual a sua favorita? Dê seus pitacos e faça seu top 12 nos comentários e até semana que vem!

Gostou da matéria? Apoie o Acabou de Acabar no Patreon!

Comments

comments