Uma obra que faz jus ao nome, Fragmentado nos mostra a atuação incrível de James McAvoy e todos os detalhes do diretor M. Night Shyamalan em um suspense psicológico.

O filme Fragmentado conta a história de um homem chamado Kevin que tem múltiplas personalidades dentro de seu corpo devido a um distúrbio psicológico. E três jovens que são sequestradas por ele, com um propósito maior que as aguarda: a revelação de uma 24° personalidade. O suspense foi escrito e dirigido por M. Night Shyamalan, que junto com o diretor de filmagens fizeram um excelente trabalho em termos de arte. A fotografia minimalista, o jogo de câmeras e a trilha sonora nas horas certas são alguns dos pontos altos. Shyamalan tem essa marca de ser caprichoso nos seu projetos, como podemos ver em outras obras dele.

A atuação de James McAvoy como Kevin está muito notável, realmente fragmentado, já que o ator interpreta 23 pessoas em um único filme. Aliás, aqui entramos em outro detalhe, apesar de serem citado as 23 personalidades, nós não conhecemos todas. No começo somos apresentados as essas pessoas/ características através das roupas e das vozes que o ator mudava. Há ainda as meninas adolescentes, Marcia por Jessica Sula, Claire na pele da atriz Haley Lu Richardson e no destaque temos Casey interpretada por Anya Taylor-Joy. Está é uma das jovens que mais conhecemos, por flashbacks que, no desfecho do filme, fazem sentido. Para completar o elenco, Kevin tem uma terapeuta chamada Dra. Karen Fletcher (Betty Bucley), ela trabalha para que o caso de seu paciente seja mias reconhecido perante à sociedade.

O diretor Shyamalan é conhecido por ter uma característica de sempre nos surpreender ou mostrar uma reviravolta nos finais de seus filmes. Devemos admitir que isso não ocorreu no caso de Fragmentado que foi um pouco previsível. Claro que alguns detalhes, quando revelados, têm fundamental importância. Mas, no geral, previsível. A sensação que temos as vezes é que a maior parte do suspense do filme foi reservada para o final. O que pode ser relativo e não tira seu mérito. O mais interessante é ver a atuação de McAvoy que ao longo da obra, em segundos, se transforma em outras “pessoas” completamente diferentes sem ajuda de maquiagem ou apetrechos. Isso tudo sem parecer ridículo ou deixar o espectador perdido.

Tornamos a dizer, o filme se torna previsível. Mas Fragmentado também aborda outros assuntos interessantes, como o abuso infantil e a busca por ajuda para transtornos psicológicos. Não espere um suspense com muitos sustos, mas o trabalho de Shyamalen e dos atores chama nossa atenção. Vale a pena assistir, pelo conjunto da obra, a direção e o suspense fora do tema fantasmagórico.